ICC - Insuficiência Cardíaca Congestiva


A insuficiência cardíaca congestiva (ICC), também conhecida como insuficiência cardíaca, acontece quando o coração já não consegue bombear o sangue eficazmente, por isso o sangue fica acumulado – particularmente no fígado, pulmões, membros inferiores e superiores. Se o sangue se acumular do lado direito do coração (onde se dá o retorno de sangue do corpo), os sintomas começam geralmente com o inchaço das pernas e tornozelos que piora quando o indivíduo se levanta, e melhora quando o indivíduo se deita. Se o sangue se acumular do lado esquerdo do coração (onde se dá o retorno de sangue dos pulmões), pode causar dificuldades respiratórias e tosse, especialmente durante exercício como subir escadas, ou quando está deitado na cama. Muitas das pessoas com insuficiência cardíaca têm sintomas relacionados com a acumulação de sangue quer do lado direito, quer do lado esquerdo do coração.

 

Para além do inchaço (edema) e dificuldades respiratórias, os sintomas podem incluir palpitação cardíaca ou pulsação rápida, fraqueza e fadiga, intolerância ao exercício, tosse ou respiração ofegante, ganho de peso repentino, náuseas e perda de apetite.

 

A ICC é uma condição grave e progressiva que é normalmente crónica e pode ameaçar a vida do indivíduo. Pode afectar o lado direito ou esquerdo do coração, ou ambos, e resulta na redução da quantidade de oxigénio e nutrientes entregues ao organismo, o que pode resultar em lesão e em perda de função.

 

Embora a ICC seja causada pela insuficiência do coração em bombear adequadamente o sangue, pode, no entanto ter causas variadas. Na maioria dos casos, a ICC acontece porque o coração sofreu uma lesão, quer devido à hipertensão (pressão arterial alta), a anteriores ataques cardíacos ou a lesão directa do músculo do coração (chamada miocardiopatia). A ICC também pode acontecer quando existe uma lesão nas válvulas dentro do coração ou cicatrizes no pericárdio, a membrana que envolve o coração. A ICC raramente acontece quando o coração é forçado a bater mais do que o normal, tal como no hipertiroidismo. O risco está aumentado nos indivíduos que têm excesso de peso, nos diabéticos, nos fumadores ou nos grandes consumidores de álcool ou cocaína.

 

 

O Teste

 

A combinação de testes de laboratório com testes não laboratoriais pode ser usada para diagnosticar a condição. Os testes não laboratoriais podem incluir uma história clínica e um exame físico, um ecocardiograma, radiografia torácica e exames radioisotópicos ou TAC (Tomografia Axial Computorizada). Os exames laboratoriais que podem ser solicitadas incluem:

  • Um painel para verificar o equilíbrio electrólitico ou insuficiência renal (uma vez que os seus sintomas são parecidos com os da ICC);
  • Um hemograma para detectar anemia, que pode causar, quer sintomas parecidos com os da ICC, quer agravar a ICC;
  • Péptido Natriurético Cerebral (BNP) ou N-terminal pro-BNP, testes que medem a produção de uma hormona encontrada no ventrículo esquerdo (cavidade principal do coração com capacidade para bombear sangue) e que servem para ajudar a diagnosticar e avaliar o nível de gravidade da insuficiência cardíaca.  

 

 

Tratamento

 

A ICC é, normalmente, uma doença progressiva. O tratamento tem como objectivo estabilizar a condição e tratar os sintomas. Isto pressupõe controlar o consumo de sal, a retenção de água, eliminar o tabagismo e o álcool. A regulação de estes problemas externos ajudará também a controlar a pressão arterial – um problema primordial nas doenças cardíacas. O seu médico irá tratar qualquer causa da ICC e controlá-la regularmente. Também será importante que controle o seu peso, uma vez que o aumento de peso pode indicar que está a reter líquidos.

 

 

 

 


Última data modificada 14.01.2010