O que é um perfil lipídico?

O perfil lipídico é um grupo de testes que são normalmente solicitados em conjunto para determinar o risco de doença cardíaca coronária. Os testes que formam um perfil lipídico têm-se mostrado bons indicadores da possibilidade de ter um ataque cardíaco ou AVC provocados pela obstrução dos vasos sanguíneos.

 

Que exames estão incluídos num perfil lipídico?

O perfil lipídico inclui o colesterol total, o colesterol HDL (muitas vezes denominado como “bom” colesterol), o colesterol LDL (muitas vezes denominado como “mau” colesterol) e triglicerídeos. Por vezes a informação inclui valores adicionais calculados, tais como a relação colesterol/colesterol HDL, ou cálculos de risco baseados nos resultados do perfil lipídico, da idade, do sexo e de outros factores de risco.

 

 

Como se utiliza o perfil lipídico?

O perfil lipídico é utilizado para auxiliar os clínicos a decidirem de que forma uma pessoa em risco deverá ser tratada. Os resultados do perfil lipídico são considerados em conjunto com outros factores de risco dedoença cardíaca conhecidos, para estabelecer um plano de tratamento e seguimento.

 

 

Como se determina o tratamento?

O tratamento baseia-se no risco global de desenvolver doença cardíaca coronária. Define-se um objectivo para o valor do colesterol LDL e se o valor do colesterol LDL estiver acima do objectivo definido, é necessário o tratamento. Os objectivos são:

 

  • Colesterol LDL inferior a 100 mg/dL (2.59 mmol/L) se tem doença cardíaca ou diabetes
  • Colesterol LDL inferior a 130 mg/dL (3.37 mmol/L) se tem 2 ou mais factores de risco
  • Colesterol LDL inferior a 160 mg/dL (4.14 mmol/L) se tem 0 ou 1 factor de risco.

 

O primeiro passo para tratar níveis elevados de colesterol LDL centra-se na mudança do estilo de vida –especificamente pela escolha de dietas pobres em gorduras saturadas e pela realização de exercício físico. Pode ser necessário o aconselhamento de um nutricionista acerca das mudanças dietéticas.

 

Se uma dieta pobre em gordura e o exercício físico não forem eficazes na redução dos níveis de colesterol LDL para o valor definido como objectivo, o passo seguinte será o tratamento farmacológico. Há várias classes de medicamentos que são eficazes na diminuição da concentração de colesterol LDL. O colesterol LDL será analisado regularmente para assegurar a eficácia do medicamento. Se com este tratamento não atingir o valor do colesterol LDL desejado, o médico pode aumentar a dose do medicamento ou, prescrever um segundo medicamento.

 

Quais são os factores de risco (em conjunto com o colesterol LDL elevado) para doença cardíaca coronária?

 

Os factores de risco são:

  • Tabagismo
  • Idade (homens a partir dos 45 anos e mulheres a partir dos 55 anos)
  • Baixos níveis de colesterol HDL (menos de 40 mg/dL (1.04 mmol/L))
  • Hipertensão (tensão arterial de 140/90 ou mais, ou se está a tomar medicação para reduzir a tensão arterial)
  • Antecedentes familiares de doença cardíaca precoce (doença cardíaca num familiar masculino de primeiro grau com menos de 55 anos ou num familiar feminino de primeiro grau com menos de 65)
  • Diabetes

 

Nota: uma elevada concentração de colesterol HDL (60 mg/dL ou mais) é considerada como um “factor de risco negativo” e a sua presença permite eliminar um factor de risco do total.

 

 

Perguntas Frequentes

 

1. O resultado da determinação do colesterol é menor que 200 mg/dL (5.18 mmol/L). É necessário realizar um perfil lipídico?

Se o colesterol total estiver abaixo dos 200 mg/dL (5.18 mmol/L) e não houver registo de história familiar de doença cardíaca ou outros factores de risco, não é necessário realizar um perfil lipídico completo. No entanto, pode aconselhar-se uma análise ao colesterol HDL para assegurar que este não está baixo. Muitos programas de rastreio incluem actualmente tanto o colesterol total como o colesterol HDL. Se o colesterol total for inferior a 200 mg/dL (5.18 mmol/L) e o colesterol HDL superior a 40 mg/dL (1.04 mmol/L), não é necessário realizar um perfil lipídico.

 

2. Preciso de estar em jejum antes de fazer um perfil lipídico?

Sim. Nas 12 a 14 horas anteriores ao teste, é apenas permitido beber água.

 

3. Com que frequência é necessário realizar um perfil lipídico?

As recomendações dirigidas aos indivíduos saudáveis sem outros factores de risco de doença cardíaca consistem em fazer análises ao colesterol e colesterol HDL a cada cinco anos. Não é necessário um perfil lipídico completo. No entanto, se existirem outros factores de risco ou se teve anteriormente um valor elevado de colesterol, as análises devem efectuar-se com mais frequência, e deve realizar-se um perfil lipídico completo.

 

4. Os resultados do perfil lipídico mostram uma elevada concentração de triglicerídeos mas não mostram os resultados do colesterol LDL. Porquê ?

Na maioria dos perfis lipídicos, o colesterol LDL é calculado a partir de outras determinações lipídicas. No entanto, o cálculo não é válido se os triglicerídeos estiveram acima dos 400 mg/dL (4.52 mmol/L). Para determinar o colesterol LDL quando os triglicerídeos estão acima dos 400 mg/dL (4.52 mmol/L), é necessário usar técnicas analíticas especiais, como uma determinação directa do colesterol LDL ou um teste lipídico por ultracentrifugação.

 

5. O que é a VLDL?

A lipoproteína de muito baixa densidade (Very Low Density Lipoprotein (VLDL)) é uma das três partículas lipoproteicas principais. As outras duas são a lipoproteína de alta densidade (high density lipoprotein (HDL)) e a lipoproteína de baixa densidade (low density lipoprotein (LDL)). Cada uma destas partículas contém uma mistura de colesterol, proteínas e triglicerídeos, mas em quantidades variáveis próprias de cada tipo de partícula. A LDL contém a quantidade maior de colesterol. A HDL contém a quantidade maior de proteínas. A VLDL contém a quantidade maior de triglicerídeos. Uma vez que a VLDL contém a maioria dos triglicerídeos circulantes, e uma vez que as composições das diferentes partículas são relativamente constantes, é possível calcular a quantidade de colesterol VLDL dividindo o valor dos triglicerídeos (em mg/dL) por 5. Actualmente, não existe nenhum método directo simples para medir o colesterol VLDL, por isso, na maioria dos laboratórios, utiliza-se o valor calculado a partir da concentração de triglicerídeos. Este cálculo não é válido quando o valor dos triglicerídeos é superior a 400 mg/dL (ver pergunta 3 em cima).

 


Última data modificada 14.01.2010