Amilase

Também Conhecido como:
Nome formal: Amilase
Testes relacionados: Lipase

Como é utilizado?

Quando é solicitado?

O que significa o resultado?

Há mais alguma coisa que deveria saber?

 

 

Como é utilizado?

O teste de amilase no sangue é solicitado, muitas vezes, em conjunto com um teste de lipase, para ajudar a diagnosticar e monitorizar pancreatite aguda ou crónica (inflamação do pâncreas) e outros distúrbios que possam envolver o pâncreas. Também se pode solicitar um teste de amilase na urina. O seu nível na urina reflecte, naturalmente, as concentrações de amilase no sangue, embora, as subidas e as descidas se dêem mais tarde. Por vezes, pode solicitar-se um teste de clearance de creatinina na urina em conjunto com o teste de amilase na urina para ajudar a avaliar a função renal, uma vez que a diminuição da função renal pode resultar numa menor eliminação (clearance) de amilase.

Os testes de amilase são utilizados às vezes para controlar o tratamento de alguns cancros relacionados com o pâncreas e depois da eliminação ou remoção de cálculos biliares.

 

 

Quando é solicitado?

Um teste de amilase pode ser solicitado quando o doente tem sintomas de um distúrbio pancreático, como dor abdominal forte, febre, perda de apetite ou náuseas. Um teste de amilase na urina pode ser solicitado em conjunto com ou em seguimento de um teste de amilase no sangue. Um ou ambos também podem ser solicitados quando o médico quer avaliar a eficácia do tratamento no doente e determinar se os níveis de amilase têm subido ou diminuído ao longo do tempo.

 

 

O que significa o resultado?

Em situações de pancreatite aguda, a amilase no sangue aumenta (muitas vezes 4 a 6 vezes mais do que o limite superior do intervalo de referência, muitas vezes chamado o limite superior do normal). O aumento acontece nas primeiras 12 horas depois da lesão do pâncreas e permanece normalmente elevada até a causa ser tratada eficazmente. Depois, os níveis de amilase voltarão ao normal em poucos dias. Em situações de pancreatite aguda, os níveis de amilase estarão, numa primeira fase, moderadamente elevados, mas diminuem muitas vezes com lesão progressiva do pâncreas.

Os níveis de amilase também podem aumentar significativamente nos doentes com obstrução do ducto pancreático, cancro de pâncreas, e crises de vesícula biliar. Os níveis de amilase no sangue e urina também podem estar elevados numa variedade de condições, como o cancro de ovário, pulmão, gravidez ectópica, papeira, obstrução intestinal ou úlcera perfurada, mas os testes de amilase não são frequentemente utilizados para diagnosticar ou controlar estes distúrbios. Níveis baixos de amilase no sangue e urina podem indicar lesão permanente das células que produzem amilase no pâncreas. Níveis elevados de amilase podem indicar diminuição da função renal ou a presença de macroamilase, um complexo benigno de amilase e outras proteínas que se acumulam no sangue.

 

Uma vez que os valores de referência variam de laboratório para laboratório dependendo do método utilizado, não existe um número universalmente aceite que possa ser chamado normal ou elevado.

 

 

 

Há mais alguma coisa que deveria saber?

Em situações de pancreatite aguda, os níveis elevados de amilase associam-se aos aumentos de lipase, emboras os níveis de lipase possam demorar um pouco mais a elevar-se do que os níveis de amilase no sangue, e permanecem elevados mais tempo.

A pancreatite crónica associa-se muitas vezes ao alcoolismo. Também pode ser provocada por um traumatismo, obstrução do ducto pancreático, e observado em associação a alterações genéticas como a fibrose quística. Os níveis de amilase podem estar moderadamente elevados em situações de pancreatite crónica mas diminuem muitas vezes ao longo do tempo aquando a lesão progressiva do pâncreas.

 

 


Última data modificada14.01.2010