Cobre

Também Conhecido como: Cu; Cobre urinário de 24 horas; Cobre total; Cobre plasmático não ligado à ceruloplasmina; Cobre livre; Cobre hepático
Nome formal: Cobre (urina de 24 horas, sangue, hepático)
Testes relacionados: Ceruloplasmin



Como é utilizado?

Quando é solicitado?

O que significa o resultado?

Há mais alguma coisa que deveria saber?

 

Como é utilizado?

O teste de cobre é pedido principalmente como meio auxiliar de diagnóstico na doença de Wilson. Por norma, um teste de cobre em sangue total é pedido juntamente com o teste da ceruloplasmina. Se estes testes proporcionam resultados alterados ou inconclusivos, podem ser seguidos por um teste de cobre em urina de 24 horas por forma a avaliar a excreção de cobre e por um teste de cobre hepático (fígado) para avaliar a capacidade de armazenamento de cobre pelo organismo. Por vezes, um teste do cobre livre (não ligado) no sangue é também é solicitado. Sempre que haja suspeita de doença de Wilson poderão também ser realizados testes genéticos para detetar mutações no gene ATP7B. No entanto, estes testes nem sempre se encontram acessíveis e geralmente são apenas realizados em laboratórios de referência ou de investigação.

Se o médico suspeita que o doente sofre de toxicidade pelo cobre, ou de deficiência neste mineral, ou ainda de um doença que compromete o correto metabolismo do cobre, então poderá requerer um teste de cobre no sangue e/ou urina juntamente com o teste da  ceruloplasmina por forma a avaliar a condição do indivíduo. Um ou mais testes de cobre poderão ser pedidos para ajudar a monitorizar a eficácia do tratamento para a doença de Wilson ou para o excesso ou deficiência de cobre. 

 

Quando é solicitado?

Um ou mais testes de cobre são solicitados, juntamente com a ceruloplasmina, quando existem sinais e sintomas suspeitos de poderem dever-se à doença de Wilson, ao excesso de armazenamento de cobre, à intoxicação por cobre, ou devido a uma deficiência neste mineral. Estes sinais e sintomas podem incluir:

• Anemia

• Náuseas, dor abdominal

• Icterícia

• Fadiga

• Alterações comportamentais

• Tremores

• Dificuldade em andar e/ou engolir

• Distonia

Um ou mais testes de cobre podem ser solicitados periodicamente quando a monitorização é recomendada.

Um teste de cobre hepático pode ser solicitado para investigar mais aprofundadamente o armazenamento de cobre quando os resultados de cobre e ceruloplasmina são anormais ou não conclusivos.

 

O que significa o resultado?

Os resultados do teste de cobre devem ser avaliados no seu contexto e são geralmente comparados com os resultados do teste da ceruloplasmina. Resultados anormais de cobre não são diagnóstico de uma condição específica. Eles apenas indicam a necessidade uma posterior análise mais aprofundada. A interpretação destes resultados pode não ser linear pelo fato de que a ceruloplasmina ser um reagente de fase agudapode estar aumentado sempre que ocorra inflamação ou infeções graves. Tanto a ceruloplasmina como o cobre estão também aumentados durante a gravidez e com o uso de estrogênios e contraceptivos orais.

 

Teste

Doença de Wilson

Toxicidade do cobre, aguda e crónica

Doença de Menkes (Síndrome dos cabelos encarapinhados)

Deficiência de cobre

Cobre, sangue

baixo mas pode estar normal

alto

baixo

baixo

Cobre livre, soro

alto

alto

baixo

baixo

Ceruloplasmina

baixo mas pode estar normal

alto

baixo

baixo

Cobre, urina

muito alto

alto

baixo

baixo

Cobre, fígado/hepático*

positivo mas dependente do local de amostragem, pode ser negativo

alto ou normal

baixo

baixo

 

 

*O excesso de cobre no fígado está, por norma, desigualmente distribuído e pode não ser detetado numa amostra.

Concentrações baixas de cobre no sangue conjugadas com o aumento do teor de cobre urinário e valores baixos de ceruloplasmina com o cobre hepático aumentado são características típicas associadas à doença de Wilson.

 

Concentrações aumentadas de cobre no sangue e urina e valores de ceruloplasmina normais ou aumentados poderão indicar exposição a excesso de cobre ou estar associados a condições que diminuem a excreção de cobre, como a hepatopatia crônica, ou que liberta cobre dos tecidos, como hepatite aguda. O cobre hepático aumentado poderá estar presente em condições crônicas.

 

· Concentrações de cobre no sangue e urina diminuídos e teores de ceruloplasmina também diminuídos poderão indicar uma deficiência neste mineral.

 

Um resultado normal no teste de cobre hepático pode indicar que o metabolismo cobre está a funcionar corretamente ou que a distribuição de cobre no fígado é desigual e a amostra não é representativa da condição do individuo.

Se um individuo está a ser tratado para a doença de Wilson ou devido à intoxicação por cobre com fármacos que se ligam (quelantes) ao cobre, então, a concentração de cobre numa urina de 24 horas poderá estar aumentada até que as reservas de cobre do organismo diminuam. Posteriormente, as concentrações de cobre sanguíneo e numa urina de 24 horas deverão normalizar.

Se um individuo está sendo tratado a uma condição relacionada com deficiência de cobre e os valores de ceruloplasmina e cobre total começam a aumentar, então, provavelmente o indivíduo está a responder ao tratamento.

Há mais alguma coisa que deveria saber?

Medicamentos como a carbamazepina e o fenobarbital podem aumentar a concentração sanguínea de cobre. O teor de cobre pode também estar aumentado na artrite reumatóide e em alguns tipos de cancro e diminuído numa variedade de condições associadas com a má absorção, nomeadamente a fibrose cística.

As concentrações séricas de cobre são, por norma, baixas no nascimento, indo aumentando ao longo dos anos seguintes, atingindo um pico máximo e, posteriormente, diminuem ligeiramente até atingir um patamar relativamente estável.

Deverá ter-se especial cuidado com as amostras de urina de 24 horas, devendo evitar-se a sua contaminação com fontes externas de cobre. Fale com o seu médico e/ou o laboratório que irá realizar o teste sobre as precauções necessárias a tomar. Se um resultado de teste de cobre na urina ou sangue é superior ao esperado pelo médico, então poderá o teste ser repetido com uma nova amostra para confirmação dos resultados.




Última data modificada05.11.2013

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.