aPTT

Também Conhecido como: Tempo de tromboplastina parcial, PTT, APTT
Nome formal: Tempo de tromboplastina parcialmente ativada (aPTT)
Testes relacionados: PT, Fibrinogen, Thrombin Time, Lupus Anticoagulant, ACT, Coagulation Factors, Contagem de Plaquetas, Cardiolipin Antibodies



Como é utilizado?

Quando é solicitado?

O que significa o resultado?

Há mais alguma coisa que deveria saber?

 

Como é utilizado?

O teste PTT é usado para investigar alterações inexplicáveis de hemorragia ou de coagulação. Pode ser utilizado junto com o teste de PT (tempo de protrombina) para avaliar a hemostasia, o processo que o corpo usa para formar coágulos de sangue para ajudar a parar a hemorragia. O teste PTT avalia os fatores da coagulação XII, XI, IX, VIII, X, V, II (protrombina) e I (fibrinogênio), bem como a pré-calicreína (PK) e o cininogênio de alto peso molecular (HK). O teste PT avalia os fatores da coagulação VII, X, V, II (protrombina) e I (fibrinogênio). Avaliando os resultados dos dois testes juntos, um médico pode obter pistas sobre se há alteração de hemorragia ou de coagulação.

 

O teste PTT é muitas vezes usado para monitorizar a terapia padrão com anticoagulante (heparina não fraccionada). A heparina é um fármaco que é administrado por via endovenosa (EV) ou por injeção subcutânea para evitar e tratar recidivas. Quando é administrado para fins terapêuticos, ele deve ser monitorizado de perto. Se for dado em demasiado, a pessoa tratada pode sangrar excessivamente; com muito pouco, a pessoa tratada pode continuar a coagular.

 

Se o PTT é prolongado e a causa não é a terapia anticoagulante ou contaminação com heparina, um segundo teste PTT é realizado através da mistura de plasma de doentes com pool de plasma normal (uma coleção de plasma de um número de doadores normais). Se o tempo PTT retorna ao normal (corrige), sugere uma deficiência de um ou mais dos fatores da coagulação no plasma do doente. Se o tempo continua a ser prolongado, o problema pode ser devido à presença de um inibidor anormal de um fator (auto-anticorpo). Novos estudos, em seguida, podem ser realizados para identificar quais fatores podem ser deficientes ou determinar se um inibidor está presente no sangue. Inibidores inespecíficos, tais como anticorpo anticoagulante lúpico e anticardiolipina, estão associados com episódios de coagulação e com abortos recorrentes, especialmente aqueles que ocorrem no segundo ou terceiro trimestre. Por esta razão, o PTT pode ser realizado para ajudar a investigar abortos recorrentes.

 

 

Baseado em histórias cuidadosamente obtidas dos doentes, os testes PTT e PT são, por vezes, utilizados na avaliação pré-cirúrgica para rastreio de potencial tendência hemorrágica.

 

Outros testes que podem ser feitos juntamente com o PTT incluem:

 

- Contagem de plaquetas – devem ser sempre monitoradas durante a terapia com heparina para detectar imediatamente qualquer trombocitopenia induzida pela heparina

 

- Teste de tempo de trombina - por vezes requisitado para ajudar a excluir a contaminação com heparina

 

- Teste do fibrinogénio - pode ser realizado para excluir hipofibrinogenemia como causa de prolongamento do PTT

 

Quando é solicitado?

O PTT pode ser solicitado junto com outros testes como o PT, quando uma pessoa apresenta hemorragia inexplicada ou hematomas, um tromboembolismo, uma condição aguda como a coagulação intravascular disseminada (DIC) que pode causar tanto hemorragia como trombose porque os fatores são usados em uma taxa rápida, ou com uma condição crónica como doença hepática. Quando alguém teve um episódio trombótico ou abortos recorrentes, o PTT pode ser solicitado como parte de uma avaliação para deteção de anticoagulante lúpico ou anticorpos anticardiolipina.

 

Quando uma pessoa está a fazer terapia com heparina endovenosa (EV) ou de injeção subcutânea, o PTT é muitas vezes solicitado a intervalos regulares para monitorizar o grau de anticoagulação. Quando a terapêutica é alterada para heparina de longo prazo (varfarina), ambos os PTT e PT estão alterados e devem ser monitorizados até a pessoa estabilizar.

 

O PTT pode ser solicitado como parte de uma avaliação pré-cirúrgica por tendências hemorrágicas, especialmente se a cirurgia tem um risco aumentado de perda de sangue, se a pessoa tem uma história clínica de hemorragia, como hemorragias nasais frequentes ou excessivas e ferimentos fáceis, que podem indicar a presença de uma alteração da coagulação.

 

O que significa o resultado?

Resultados de PTT dentro do intervalo de referência, estabelecido por cada laboratório, geralmente indicam função normal da coagulação; no entanto, ligeira a moderada deficiência de um único fator da coagulação pode ainda existir. O PTT não pode ser prolongado até que os níveis de fator diminuam para 30 a 40% do normal. Também o anticoagulante lúpico pode estar presente, mas não pode prolongar o resultado do PTT. Se houver suspeita do anticoagulante lúpico (LA), um PTT sensível ao LA ou um tempo de diluição de Russell Viper Venom pode ser usado para testar.

 

Um PTT prolongado significa que a coagulação está a demorar mais tempo para ocorrer do que o esperado e pode ser devido a uma variedade de causas. Muitas vezes, isto sugere que pode haver uma deficiência de fator da coagulação ou um inibidor específico ou inespecífico que afetam a capacidade de coagulação. Deficiências de fator da coagulação podem ser adquiridas ou hereditárias.

 

Teste de PTT prolongado pode ser devido a:

 

- Deficiências de fator hereditárias ou adquiridas - PTTs prolongados devido a uma deficiência de fator geralmente corrige após ser misturado com pool de plasma normal. O PTT pode ser prolongado na doença de von Willebrand, a doença mais comum, hereditária, que afeta a função plaquetária devido à diminuição do fator de von Willebrand. Hemofilia A e Hemofilia B (doença de Christmas) são duas outras alterações hemorrágicas hereditárias resultantes de uma diminuição de fatores VIII e IX, respectivamente. Deficiências de outros fatores da coagulação são raras, mas podem afetar também negativamente os resultados do PTT.

Um exemplo de uma deficiência adquirida é a falta de vitamina K. A vitamina K, encontrada em diversos vegetais verdes e produzida por certas bactérias gastrointestinais, é um componente fundamental para uma adequada coagulação sanguínea. Deficiências de vitamina K são raras, mas podem ocorrer devido a uma dieta extremamente pobre, doenças de má absorção ou uso prolongado de certos antibióticos. A maioria dos fatores da coagulação, incluindo os vitamina K-dependentes, são fabricados pelo fígado, assim, a doença hepática pode causar prolongamento do PT e PTT. Com doença hepática e deficiência de vitamina K, o PT é mais susceptível de ser prolongada do que o PTT.

 

- Um inibidor inespecífico - Inibidores inespecíficos, tais como o anticoagulante lúpico (LA) e o anticorpo anti-cardiolipina, ligam-se aos produtos químicos chamados fosfolípidos encontrados na superfície das plaquetas. Como os fosfolípidos ajudam no processo da coagulação, e como os reagentes de teste do PTT contêm fosfolípidos, tais anticorpos podem prolongar o PTT, sugerindo um problema hemorrágico. Na verdade, a presença destes inibidores é geralmente associada a trombose em vez de hemorragia. Se o anticoagulante lúpico prolongar o PTT ou PTT sensível ao LA, ele não corrigirá com mistura de plasma normal, mas ele geralmente irá corrigir se um excesso de fosfolípidos for adicionado à amostra. O teste de diluição de Russell Viper Venom (dRVVT) é mais sensível que o PTT na detecção de anticoagulante lúpico.

 

- Um inibidor específico - Embora relativamente raros, estes são anticorpos voltados especificamente para determinados fatores de coagulação, tais como anticorpos do Factor VIII. Pode desenvolver-se em alguém com uma doença hemorrágica que está recebendo substituições de fator (como fator VIII, que é usado para tratar a Hemofilia A) ou espontaneamente como um auto-anticorpo. O inibidor específico irá prolongar o PTT e não corrigirá com estudos de mistura. Inibidores do fator específico podem causar hemorragias graves.

 

- Heparina - Vai prolongar o PTT, como um contaminante da amostra ou como parte da terapia de anticoagulação. Na terapia anticoagulante, o objectivo do PTT é, muitas vezes, cerca de 1,5 a 2,5 vezes mais do que o nível de pré-tratamento.

 

- Terapia anticoagulante com varfarina - O PTT não é usado para monitorizar a terapia de varfarina, mas pode ser afetado por ela. Normalmente, o PT é que é usado para monitorizar a terapia da varfarina.

 

- Níveis PTT prolongados também podem ser observados em doentes com leucemia, hemorragia excessiva em grávidas antes ou após o parto, ou abortos recorrentes.

 

Resultados do PTT são muitas vezes interpretados juntamente com o PT para determinar qual condição que pode estar presente.

 

 

Interpretação do PT e PTT em doentes com síndrome de hemorragia ou de trombose

PT

PTT

Doença associada

Prolongado

Normal

Doença hepática, diminuição da vitamina K, diminuição ou defeito de fator VII

Normal

Prolongado

Diminuição ou defeito de fator VIII, IX ou XI, doença de von Willebrand, anticoagulante lúpico

Prolongado

Prolongado

Diminuição ou defeito de fator I, II, V ou X, doença grave do fígado, coagulação intravascular disseminada (DIC)

Normal

Normal ou ligeiramente prolongado

Pode indicar hemostasia normal; no entanto, PT e PTT podem ser normais em condições como deficiências leves de fatores e na forma leve da doença de von Willebrand. Testes suplementares podem ser necessários para diagnosticar essas condições.

 

 

Um PTT encurtado pode resultar quando o factor VIII da coagulação é elevado. Isso pode ocorrer durante uma reação de fase aguda, uma condição causando inflamação tecidular ou trauma. Geralmente, trata-se de uma alteração temporária que não é monitorizado com o teste PTT. Quando a doença que provoca a reação de fase aguda é resolvida, o PTT retornará ao normal.

 

 

Há mais alguma coisa que deveria saber?

Dois anticoagulantes usados frequentemente, a heparina de baixo peso molecular (HBPM) e o danaparóide, não poderão prolongar o PTT e, se indicado, devem ser monitorizados usando o ensaio do anti-factor Xa de heparina.

 

Vários fatores podem afetar os resultados de um PTT e a interpretação dos resultados do teste:

 

- Amostra insuficiente – deve ser colhida amostra suficiente. A proporção de anticoagulante com o sangue deve ser de 9:1 no tubo de colheita.

 

- Pessoas com níveis de hematócrito elevado podem ter prolongamento do PTT.

 

- Contaminação com heparina – este é o problema mais comum, especialmente quando o sangue é colhido de dispositovos intravenosos que estão sendo mantidos abertos com lavagens de heparina.

 

- Amostra de sangue coagulada – a coagulação esgota alguns dos fatores.

- As pessoas devem evitar refeições de alto teor de gordura antes da colheita de sangue para PTT.

 

- Em alguns casos, a heparina pode involuntariamente diminuir a contagem de plaquetas, uma complicação chamada de trombocitopenia induzida pela heparina. Quando isso ocorre, pode ser dado um substituto do anticoagulante como a hirudina ou Argatrobana. O teste PTT é também usado para monitorizar estas terapias. Ele não mede diretamente os anticoagulantes usados, mas mede o seu efeito na coagulação do sangue.




Última data modificada04.02.2014

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.